Bom dia, hoje é 11/12/2017

Psicologia Sorocaba  Agende um horário:
(15) 3234-6671

CRP/J 4262 - CNPJ: 13.516.568/0001-01

Psicoterapia Infantil

Meu filho precisa de terapia?

Hans lhe disse: Porque é que voce não põe seu dedo aí?

Mãe: Porque seria porcaria.

Hans: Que é isso? Porcaria? Por quê?

Mãe: Porque não é correto.

Hans (rindo): Mas é muito divertido.

S. Freud, "O pequeño Hans", p.29.

A arte de educar um filho não se constituí uma tarefa fácil, pois os cuidados com a criança se mostram constantes e permanentes, tornando-se a chave principal para a saúde de toda e qualquer criança, mesmo tendo ela alcançado certo grau de desenvolvimento e independência. Para isto, é necessário conhecer as inúmeras condições sociais e psicológicas que influenciam, positiva ou negativamente, o seu desenvolvimento.

A psicoterapia com crianças pode ser definida como uma intervenção que visa atender problemas diversos, que causam estresse emocional, interfere no dia-a-dia da criança, dificultam o desenvolvimento das habilidades adaptativas e/ou ameaçam o bem-estar da criança e dos outros à sua volta. Sem dúvida, é um conceito amplo, no qual há interação de um grande número de fatores. Especificamente a psicoterapia psicanalítica com crianças é derivada da psicanálise e pode ser conceituada como uma forma de tratamento interpretativo que tem por base a compreensão psicanalítica. Objetiva a resolução de sintomas, a modificação do comportamento, certo grau de mudança estrutural da personalidade e o retorno da criança aos impulsos desenvolvimentais normais.

As técnicas da psicoterapia incluem as entrevistas (anamnese) com os pais ou responsáveis, observação lúdica (ludo terapia que tem como objetivo promover a compreensão da criança sobre seu próprio comportamento e sentimento) e interpretação utilizada junto à verbalização, o esclarecimento e as mudanças do comportamento, assim como uma experiência emocional saudável. Junto ao atendimento da criança faz-se necessário à orientação de pais, a partir de uma vertente pautada na psicanálise e no desenvolvimento emocional, considera-se que esta tem a função de acolher os pais em suas angústias, propiciar maior compreensão acerca da criança, do seu funcionamento mental, da relação pai-mãe-filho, das suas queixas, da evolução e do tratamento lúdico.

Não tem, contudo, por objetivo "dar conselhos", estabelecer padrões de comportamento ou um "guia de normalidade". Busca utilizar "o conhecimento psicanalítico sobre as bases essenciais de estruturação e constituição do psiquismo, assim como do desenvolvimento psíquico saudável e suas características a favor do desenvolvimento infantil" (MOTTA, 2008, p. 122). Contudo, nem todos os pais podem acolher suficientemente os filhos. Por não terem desenvolvido uma condição mental que permita o uso benéfico do processo de orientação, alguns pais necessitam de um espaço psicoterapêutico próprio para lidarem com questões individuais.

A criança esta em processo de desenvolvimento em todos os sentidos e o aparelho psíquico também está em constituição, onde as fronteiras e os lugares estão se constituindo. Os pais aparecem como figuras fronteiriças entre a realidade e a fantasia e ao, incluí-los, facilita-se um encontro, possibilitam-se mudanças que operam em ambas as direções. O papel dos pais na psicoterapia dos filhos torna-se um ponto fundamental ao pensarmos no tratamento de crianças, pois ao perceber as dificuldades do filho e das relações familiares, os pais podem circular no seu próprio psiquismo questões que mesmo estando em psicoterapia demoraria muito tempo a serem focalizadas.

O tratamento é da criança e é com ele que fundamentalmente trabalhamos, mas devido ao peso do interjogo que ocupa os pais na vida dos filhos nessa fase, interferindo diretamente na formação do sintoma ou na estruturação das psicopatologias, torna-se imprescindível que seja trabalhado com um ou ambos os pais para que se modifique algo também no inconsciente deles ou na relação familiar. "Ao incluí-los na sessão, pensa-se em produzir um efeito analítico que permita a continuação da análise da criança" (ROSENBERG, 2002).

Através da linguagem lúdica e da expressão artística, as crianças descortinam seu mundo, suas dúvidas, seus anseios, angustias e dificuldades.

Tire suas dúvidas enviando um e-mail aos profissionais:
Rosivania B. Rodrigues (Psicóloga Clínica Infantil, Adolescente e Orientação para os Pais) - CRP 06/77310 rosi@psicologiasorocaba.com.br ou telefone: (15) 98161-4197

2017 © Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento e hospedagem: