Disfunção Erétil e Diabetes

Segundo estudo, homens com problemas de ereção correm maior risco de ter diabetes tipo 2.

Em um estudo realizado pela Universidade de Toronto, no Canadá, revelou que homens de meia-idade com problemas de ereção correm um risco duas vezes maior de ter diabetes em comparação aos homens que não apresentam esse tipo de problema.

A análise, publicada recentemente na revista científica Annals of Family Medicine, utilizou dados de uma pesquisa realizada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, coletados entre 2001 e 2004. Os pesquisadores analisaram informações de homens com idade entre 40 e 59 anos. No grupo dos homens que afirmaram não conseguir (ou conseguir com pouca frequência) manter uma ereção, 10% sofriam de diabetes tipo 2. Para o grupo que não tinha disfunção erétil, a taxa era de 5%.

Não é novidade entre os médicos que a disfunção erétil pode ser um indicador de doenças cardiovasculares, mas o novo estudo aponta que a diabetes também pode estar associado ao problema. Os pesquisadores acreditam que o achado comprova que a disfunção erétil é um problema médico e que não afeta apenas o estilo de vida do homem — mas o organismo como um todo.

Uma das possíveis explicações é o fato de a doença favorecer uma “deficiência” dos vasos sanguíneos. Para a ereção é necessário que o pênis receba aporte sanguíneo adequado.

Reportagem Veja SP/ Julho 2015