sindrome alimentar noturna

Síndrome alimentar noturna

A dificuldade física herdada do cérebro de produzir as substâncias necessárias desencadeia a ansiedade e a depressão, aumentando a insônia e, consequentemente, o consumo exagerado de alimentos a noite.

Todos nós, enquanto seres humanos possuímos tendência a ansiedade, depressão, tristeza, baixa autoestima, raiva, medo, insegurança, etc. No caso da Síndrome Alimentar Noturna é mais a depressão e a ansiedade que tendem a gerar este comportamento associado a distúrbios do sono. Alguns dos fatores que diferenciam as nossas personalidades são o grau de intensidade, a frequência e a causa desencadeante que fazem com que cada um de nós manifeste de forma diferente essas emoções, sendo alguns hiperemotivos e outros frios, insensíveis, alguns são levados a sofrer de anorexia, quando praticamente não comem, enquanto outros tem exacerbada compulsão alimentar.

Essa Síndrome afeta cerca de 1 a 2% da população, sendo mais comum em mulheres. Foi detectado que o inicio dos sintomas ocorre entre 20 a 30 anos, e estes índices aumentam para 14% em obesos e 42% em obesos grau III, porém apesar de todas as pesquisas realizadas, ainda pouco se sabe sobre a etiologia da SAN. Esta síndrome é diferente do transtorno de compulsão alimentar (TCAP), principalmente por ocorrer no horário noturno e também não deve ser confundida com o transtorno alimentar relacionado ao sono, que é um tipo de sonambulismo no qual a pessoa levanta-se da cama, caminha, se alimenta e retorna para a cama sem acordar.

Revista: Psique Ciência & Vida