entenda o seu tempo

Entenda seu tempo

É preciso descobrir a melhor forma de administrá-lo com sabedoria, para usá-lo como aliado, e não deixá-lo escapar, o que, certamente, vai ocasionar um desequilíbrio pessoal, ou seja, estresse e ansiedade.

Segundo Eduardo Shinyashiki a escolha de um objetivo e a ideia daquilo que se quer atingir é o processo de pensamento do ser humano que pode produzir resultados concretos no mundo. Porém, essa ideia pode nascer, mas permanecer fechada em um casulo, sem nunca se desenvolver.

Exemplo é quando no começo do ano fazemos uma lista com propósitos e objetivos a serem realizados quando olhamos os novos 365 dias e pensamos e sonhamos, com mais intensidade. Segundo estudos 50% das pessoas que elaboram uma lista daquilo que querem mudar ou conseguir, depois de alguns meses, nem lembram mais o que tinham decidido e, aproximadamente 20% das pessoas irão fazer a mesma lista do ano passado.

Mas o que faz com que isso aconteça? Como manter os objetivos escolhidos? Como fazer a conexão entre o pensamento de algo e as ações para realizá-los?
A primeira reflexão a fazer é um olhar honesto, dentro de si, para compreender quais são as metas que realmente são importantes, avaliar o que é verdadeiramente válido e o que nos move a buscar as respostas que necessitamos.

Ser realista é essencial, assim como ter metas impossíveis pode ser uma armadilha, um boicote, uma ilusão, que cria uma falsa esperança e um círculo vicioso de propósitos e fracasso, de esforços e decepções, de tentativas e desistências. Por isso é necessário identificar objetivos realizáveis e específicos. Estudos da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, apontam: definir as ações necessárias para realizar as metas multiplica em dez vezes as possibilidades de realizá-las. Metas e objetivos nada mais são que pensamentos sobre o futuro, e se for usada essa vantagem de raciocínio, obterão mais chances de concretizar a visão idealizada.

Mais informações: andreapsicologa@uol.com.br
Revista Psique & Ciência